Como este é um assunto extenso, farei outras publicações relacionados ao tema Autismo. Porém, nada mais justo do que iniciar a sequência de publicações com uma breve explicação sobre o que é o Autismo.

O que é Autismo?

O Autismo, também conhecido como Transtorno do Espectro Autista (TEA), ou Desordens do Espectro Autista (DEA ou ASD em inglês), engloba diferentes síndromes marcadas por perturbações do desenvolvimento neurológico com três características fundamentais, que podem manifestar-se em conjunto ou isoladamente. São elas:

  • dificuldade de comunicação por deficiência no domínio da linguagem e no uso da imaginação para lidar com jogos simbólicos;
  • dificuldade de socialização;
  • padrão de comportamento restritivo e repetitivo.

Talvez você se pergunte sobre o porquê das siglas TEA ou DEA, conterem a palavra “espectro” (spectrum), mas se refere ao envolvimento de situações e apresentações muito diferentes umas das outras, numa gradação que vai da mais leves à mais grave. Todas,  estão relacionadas, com as dificuldades de comunicação e relacionamento social, porém, a intensidade varia de acordo com o grau.

O TEA pode ser classificado em:

Autismo clássico – O grau de comprometimento do autista clássico pode variar de muito, porém, de maneira geral, estes são voltados para si mesmos, não estabelecem contato visual com as pessoas nem com o ambiente. Autistas clássicos conseguem falar, mas não usam a fala como ferramenta de comunicação.  São capazes de entender enunciados simples, porém, têm dificuldade de compreensão e apreendem apenas o sentido literal das palavras, ou seja, não compreendem metáforas, nem duplo sentido. Nos graus mais elevados, é possível notar a ausência completa de qualquer contato interpessoal e repetem movimentos estereotipados, sem muito significado;

Autismo de alto desempenho (antes chamado de síndrome de Asperger) – Pessoas com Autismo de alto desempenho apresentam as mesmas dificuldades dos outros autistas, mas numa medida bem reduzida. São verbais e inteligentes, tão inteligentes que chegam a ser considerados gênios, pois são imbatíveis nas áreas do conhecimento em que se especializam. Quanto menor a dificuldade de interação interpessoal, melhor será a vida destas pessoas em sociedade.

Distúrbio global do desenvolvimento sem outra especificação (DGD-SOE) –  Para diagnosticar se uma pessoa possui DGD- DOE, é bastante difícil, pois, apesar destas pessoas serem consideradas dentro do espectro do autismo (dificuldade de comunicação e de interação social), os sintomas não são suficientes para incluí-los em nenhuma das categorias específicas do transtorno.

O diagnóstico é essencialmente clínico e baseia-se nos sinais e sintomas, no comprometimento e histórico do paciente, levando em conta os critérios estabelecidos por DSM–IV (Manual de Diagnóstico e Estatística da Sociedade Norte-Americana de Psiquiatria) e pelo CID-10 (Classificação Internacional de Doenças da OMS).

O Autismo (TEA) não possui cura e suas causas ainda são incertas, porém, existem tratamentos capazes de adequar pessoas autistas ao convívio social e às atividades acadêmicas o melhor possível. Quanto antes o Autismo for diagnosticado, melhor será para o desenvolvimento do paciente e também para seus responsáveis que, em muitos casos, acabam se sentindo incapazes de lidar com a situação. Se houver comprometimento as condutas terapêuticas adequadas para cada caso desde cedo, mais fácil será a superação de dificuldades para pessoas diagnosticadas com TEA.

Siga nossas redes sociais e se inscreva por e-mail, para receber notificações de publicações como esta.

E-mail | Facebook | Google + | Pinterest

 

pinit fg en rect red 28 - O que é Autismo?

20 thoughts on “O que é Autismo?”

  1. Tenho especial interesse pelo Autismo, já li muito a respeito e realizei algumas pesquisas acerca desse tema. Recentemente assisti ao filme sobre a vida de Temple Grandin, conhecida como a mais bem sucedida autista do mundo. Ela é professora universitária e responsável por evolucionar o trato do gado criando equipamentos e instalações que favorecem o manejo dos animais.
    Acho interessante verificar como alguns transtornos, podem favorecer certas atividades do cérebro, sendo necessário apenas encontrar um caminho para a pessoa e sua sensibilidade.

    bacio

  2. Tenho uma amiga que fez formação de professores e conversávamos muito sobre autismo, tentando entender.Muito importante essas informações, pois tendo informação quanto mais cedo descobrirmos , melhor.

  3. Olá, tudo bem?
    Esse é um tema bastante interessante em que o debate se faz imensamente necessário. É muito importante que pais de crianças autistas saibam como lidar com eles de forma a ajudar no seu crescimento e desenvolvimento. Muito bom seu post, parabéns!
    Abraços

  4. O seu post é bastante importante falando sobre o autismo, muitas vezes não sabemos muito sobre o autismo, muito boas as suas informações sobre esse assunto, vai ajudar muitos os pais pra quem tem filhos autista, é sempre bom ficar informada, parabéns pela postagem super valiosa, bjs.

  5. Dentro do autismo tenho especial interesse pela síndrome de Asperguer. O tema me chamou a atenção quando assisti a um filme com o Josh Hartnett há alguns anos atrás que falava sobre o assunto (acho que o nome é Loucos de Amor). Não sei é verdade, mas dizem que o Messi é um dos portadores famosos.

  6. Post muito bem feito e explicado, muitas coisas eu não sabia sobre o altismo, mais com esse post super esclarecedor fiquei sabendo de muitos detalhes importantes. Obrigado por compartilhar seus conhecimentos conosco

  7. Nossa, tudo muito bem explicado, mas ainda existem muitas colegas que encontram dificuldade em trabalhar com alunos autista.Eu sempre digo que com amor e força de vontade vamos vencer.Quando não consigo compreender saio perguntando mesmo,pesquisando e no final tudo da certo. Parabéns pela postagem!!

  8. Olá, tudo bem?

    Muito bacana você trazer este tema para discussão, pois muitas pessoas não conhecem sobre o autismo e suas características e por isso julgam muitas famílias. Tenho um sobrinho e um afilhado autista e sei bem como é difícil esse processo de tenta-los incluí-los dentro da sociedade, principalmente com outras crianças. As diferenças apresentadas também foram bem explicativas. Adorei!

    Beijos!

Deixe seu comentário!