Extraordinário é uma obra literária de R.J. Palácio, que também deu origem ao filme com o mesmo nome. O livro foi lançado em 2012, mas no Brasil só ficou mais conhecido popularmente em 2017, com o lançamento do filme. Mesmo que você já tenha assistido ao filme, vale a pena ler o livro também, pois como em todas as adaptações cinematográficas, não há espaço para todos os detalhes de um livro em um filme com menos de 2 horas de duração. Ao ler o livro, além de saber de mais detalhes da história, também irá exercitar a leitura e não podemos ignorar a importância disso, não é mesmo? O personagem principal da história é um menino de 10 anos, chamado August, que nasceu com uma deformidade no rosto que fragilizava sua saúde, obrigando-o a passar por 27 cirurgias desde o início de sua vida até o momento em que a história se passa.

Até seus 10 anos de idade, August não tinha frequentado a escola, já que sua saúde era muito frágil e se sentia desconfortável de aparecer em público, pois percebia os olhares de estranhamento que recebia de crianças e adultos, além de ouvir coisas cruéis que as pessoas diziam ao notar sua presença. Porém, seus pais sentem que é o momento dele ser matriculado em uma escola, já que o menino precisava aprender matérias sobre as quais eles não tinham domínio para ensinar, além de acharem que seria bom a socialização entre August e as outras crianças. Os pais do menino fizeram o acordo de que ele precisava tentar, e, se não se sentisse bem, poderia voltar a estudar em casa.

BULLYING

August topou a condição que seus pais haviam estabelecido e foi com sua mãe à escola para uma primeira visita. O diretor achou que seria uma boa ideia chamar algumas crianças que ele considerava serem bons alunos, para apresentarem a escola a Auggie, enquanto ele conversa com a mãe. Porém, desde esta primeira visita à escola, já sofreu descriminação devido à sua aparência diferente, por parte de um menino que seria da sua futura classe, mas mesmo assim, August decidiu que iria seguir com o desafio de estudar em uma escola que possivelmente teria mais crianças como o menino que o tratou mal.

Quando começou a estudar, August sofreu bullying com intensidade muito maior, que partia de colegas e até dos pais de seus colegas. Tudo isso fazia com que ele se sentisse mal, com a autoestima cada vez mais baixa e pensasse em desistir da escola.

Entre muitas experiências novas, estão também as primeiras decepções, como por exemplo quando ele escuta seu amigo Jack Will, a quem ele considerava como seu melhor amigo, falando mal dele pelas costas. Isto abalou demais o lado emocional de Auggie, porém, é nesta parte que se inicia uma das grandes lições da obra, mostrando que toda história tem dois lados.

A IMPORTÂNCIA DA EMPATIA

Apesar de ter enfrentado preconceitos, August também fez bons amigos na escola, que demonstraram empatia natural para com ele. Obviamente, as crianças perguntavam coisas indiscretas para Auggie, mas não passavam de curiosidades e a amizade se firmava com esta base essencial do respeito para com o outro.

OS PRECEITOS

Um dos pontos mais legais quando se refere à escola de August, na minha opinião, foram os preceitos do professor Browne. No começo do mês, o Sr. Browne destaca um preceito para que as crianças pensem sobre o que este preceito quis ensinar.

“Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil”.

No primeiro dia de aula de Auggie, este foi o preceito ensinado pelo professor, reforçando que nunca se sabe o que o outro está enfrentando e ensinando que é preciso ser gentil e ouvir as pessoas antes de julgá-las. Este ensinamento fez com que as crianças tomassem mais cuidado ao direcionarem perguntas a August.

O professor pedia para que as crianças também enviassem preceitos legais que ouviram durante as férias para ele, por correios ou por e-mail e as crianças assim faziam. Achei incrível esta ideia! Até porque, este simples exercício incentiva o questionamento sobre o que se ouve e lê, estimulando a capacidade de avaliar e refletir sobre as próprias ações e as ações dos outros.

Ah, estes preceitos acabaram inspirando um outro livro chamado “365 dias extraordinários – O livro de preceitos do Sr. Browne”, da mesma autora. O livro aborda um preceito por dia, para te inspirar e ajudar a ter um ano extraordinário.

OUTROS PONTOS DE VISTA

A maior parte do livro é contada sob o ponto de vista de August, mas também tem capítulos onde outros personagens narram a história de acordo com suas perspectivas.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Crianças podem ser muito cruéis. Você que está lendo isto aqui, certamente já sofreu bullying ou já praticou na sua infância. Este livro consegue abordar muito bem o tema e ainda consegue ir muito além disso e até mesmo além de August, com muita maestria, apesar de ter apenas 320 páginas. É o tipo de leitura que eu recomendo como uma ótima sugestão de leitura, tanto para crianças que praticam bullying entenderem o impacto negativo que estão causando na vida de outras pessoas, quanto para servir como tema um projeto pedagógico.

Mas qual é a sua opinião sobre a obra extraordinário?

Que tal deixar um preceito nos comentários para mim? Vou adorar ler!  

 

E-mail | Facebook | Google + | Pinterest

pinit fg en rect red 28 - Extraordinário

12 thoughts on “Extraordinário”

  1. Oiii,
    parabéns pela resenha, eu achei tudo que você falou sobre o livro verdade, ler isso para uma criança que pratica esse tipo de ato para dizer o quão errado é o bully, a história de August foi muito difícil, e achei muito parecido com coisas que acontecem muito nos nossos dia a dia

  2. Já assistir esse filme no cinema, achei o emocionante e muito lindo. Mostra muito sofrimento e bullying que se passa pelo personagem principal, conta que temos que se aceita como somos e aceita o diferente do jeito que ele é de verdade. É uma história incrível e excelente reflexão para compartilhar com as crianças para lidar com o próximo vendo o mundo com outro olhos. bjsss

  3. tema otimo, adorei ! As escolas deveriam debater mais esse tema. Hoje em dia é muito importante pois as crianças andam muito preconceituosas, pela falha da educação que ja deveria vir de casa.

  4. Fiquei chocada em saber que alguns pais praticavam bulying contra o menino, que absurdo! Essas pessoas precisavam de algumas aulinhas de humanidade. No mais achei a resenha ótima, realmente o livro é bem mais completo que o filme, a história é muito comovente e nos ensina várias lições.

  5. Olá, tudo bem?

    Acredita que comecei a ler o livro, mas parei?! Não sei bem o motivo de ter parado, mas fui colocando outros nas frentes e acabei esquecendo-o. Assisti a adaptação ano passado e gostei bastante, chorei horrores no cinema. Realmente tem uma lição muito bonita, e nos passa principalmente que precisamos ensinar as crianças a serem mais gentis com as outras, pois elas podem ser tão cruéis quanto os adultos, quando replicam o que veem. Belo post, adorei!

    Beijos!

  6. Oi! Espero que acredite, mas ao ler seu post, fiquei arrepiada e me vieram lágrimas aos olhos. Extraordinário é uma das leituras mais extraordinárias que tive o prazer de acompanhar. A cada página, sinto que tivemos um ensinamento, sinto que podemos ter uma visão mais ampla de coisas. Concordo com você quando disse que crianças podem ser cruéis. A escola no geral é cruel! E ver coisas que o Auggie passou, me arrasaram. O trecho em que ele disse ser feio me deixou em prantos.
    Ao mesmo tempo que podemos ver que crianças também podem ser puras, apenas curiosas. Já outras, vão aprender as maldades com os pais. Tenho mt forte em mim, que esse deveria ser um livro investido nas escolas. Aposto que iria atingir mt bem seus pequenos leitores.
    E ai, o filme… chorei do início ao fim haha. Amei o post! Beijos
    https://almde50tons.wordpress.com/

Deixe seu comentário!